• Jornal Barcarena

Universitários barcarenenses são assaltados ao chegar em Belém


Chegar em Belém para estudar já está se tornando motivo de medo para universitários de Barcarena. Nos últimos dias, assaltos ocorreram ao redor dos portos de desembarque no Ver-o-peso, em Belém. Portando facas, assaltantes rendem os alunos e levam todos os pertences. Numa área de estacionamento em frente aos portos, os oportunistas se escondem atrás dos carros ou fingem ser flanelinhas.

Quem passou por essa situação, foi a estudante de medicina veterinária, Elizangela Solano, na terça-feira, dia 27, que relata o momento de tensão que viveu. "Eu estava a caminho da faculdade quando dois caras vieram na minha direção. Um puxou meu cordão e o outro, em seguida, me bateu. Fiquei com muito medo, assustada e sem reação. Acho que tem que ter mais viaturas lá por perto, mais ronda e policiamento, pra eles ficarem de olho nos portos na hora do desembarque, porque isso cada vez mais tá aumentando", disse.

Segundo o sócio-proprietário da empresa Machado Transporte Navegação, Wanderson Machado, já foi feito solicitações de policiamento ao redor dos portos, e agora o pedido será novamente reforçado. "Já solicitamos ao boxe da PM para que o policiamento seja mais frequente nos portos. Numa reunião com o Ministério Público também solicitamos. A gente vai fazer o papel de novo de solicitar, relatar os casos, pedir presença mais frequente e torcer pra que não aconteça assaltos novamente", disse.


O Tenente Coronel da Polícia Militar de Belém, Edlin Anselmo, explica que vários trabalhos de prevenção são feitos no Ver-o-peso. “Temos uma viatura que fica bem na frente do estacionamento, na saída do desembarque das pessoas. O policiamento alí existe. Temos um trio de policiais que ficam por trás das barracas. Na frente temos mais três policiais que ficam no Mercado de Carne. Todos os dias temos no mínimo 9 policiais até 20h da noite quando termina o grande movimento. Precisamos que a população se comunique com a gente, pelos nossos canais, que é o telefone do CIOP, o 190, e o 181 que é o Disque Denúncia. Pedimos que registrem esses fatos pra gente identificar as pessoas pra que elas cumpram o delito que cometeram”, disse.


Diariamente, segundo o Ministério Público, cerca de 5 mil pessoas transitam nos portos Amazonat (Foca) e Machado, em Belém, vindas de Barcarena. A recomendação é que as pessoas andem em grupos, evitem cordões, pulseiras, anéis, celulares. relógios, bolsas e carteiras à mostra.

0 visualização