• Jornal Barcarena

Segunda-feira: Protestos no Conde e alagamentos em Barcarena sede



Todos os anos a cena se repete. Nesse período das chamadas "águas de março", ruas de Barcarena sede ficam alagadas e prejudicam moradores. A forte chuva que assola o município também contribui para os alagamentos. A segunda-feira, dia 9, começou com chuva ininterrupta, que na verdade, cai na cidade desde a noite do domingo.


Quem sofre sempre são os moradores da Tomé Serrão, entre Jaime Dias e Frederico Vasconcelos, uma região baixa e que fica próxima de um rio. Quando as águas sobem, as casas são invadidas pela enchente, danificando móveis. Mesmo com o problema, uma moradora apareceu no alagamento dentro de um bote.



Também estão alagadas, parte da Gabriel Furtado e da Raimundo Dias, com 12 de outubro, no bairro da pedreira. Crianças, idosos, carros e bicicletas se arriscam para trafegar nas vias. Os problemas estão longe de acabar, pois segundo boletim da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Semas, divulgado no dia 6, o mês de março será de chuvas fortes no Pará.


Pelo cancelamento de aulas nas faculdades de Belém, a lancha exclusiva dos estudantes de Barcarena foi suspensa nessa segunda. A caminhada pelo dia das mulheres também precisou ser adiada pela chuva.


Protesto na Vila do Conde


Na Vila do Conde, moradores interditam vias em prol da recuperação da PA - 483, que está cheia de crateras, mato, e com as fortes chuvas, grandes alagamentos, causando prejuízos a motoristas e moradores do entorno.


Foto: reprodução whatsapp

227 visualizações