• Jornal Barcarena

Proposta quer criar Memorial Mestre Vieira na Fundação Cultural do Pará


Foto: Anderson Astor

Na terça-feira (31) foi apresentado na Assembleia Legislativa do Pará (ALEPA) uma moção que propõe à Secretaria de Estado e Cultura-SECULT a criação do Memorial Mestre Vieira na Fundação Cultural do Estado do Pará com o objetivo de preservar e conservar a história de um dos músicos instrumentistas mais importantes do Brasil.



O autor foi o deputado estadual Bordalo, que enfatiza na proposição a importância e representação do Mestre Vieira pelo movimento das guitarradas no Estado e pela sua trajetória cultural, considerando que ele é reconhecido como criador e o maior representante da guitarrada no Pará. Um dos maiores nomes da música paraense, foi na década de 70 que Joaquim de Lima Vieira mesclava cúmbia, jovem guarda, merengue e carimbó em suas composições, dando vida ao que conhecemos hoje como a guitarrada.


A iniciativa partiu após reunião com a jornalista e documentarista Luciana Medeiros com o parlamentar na última quarta-feira, dia 25. Pesquisadora da obra do guitarrista paraense há dez anos, Medeiros apresentou os diversos projetos que tem desenvolvido, a exemplo do Inventário Mestre Vieira, que reúne material fotográfico, vídeos e pesquisa sobre a trajetória do mestre.


“Por tudo isso, achei importante reunir com o deputado Carlos Bordalo, por ele ser autor do PL que instituiu a Guitarrada Patrimônio do Pará. Ele se mostrou muito solidário à causa e quando lhe disse que precisávamos cuidar das coisas do Mestre, citei que a casa dele poderia se tornar uma casa memorial em Barcarena”, lembra Medeiros.


Durante a conversa, Bordalo então propõe solicitar que esse espaço de memória da vida e obra do artista fosse em um museu do Estado. Mestre Vieira era chamado de “pai e rei da guitarrada”, ritmo que o tornou conhecido no Brasil e no exterior. Ele começou tocando cavaquinho e também se dedicou a ritmos como brega, baião, samba e choro. Com mais de 18 discos lançados, Vieira se tornou influência para uma geração de artistas. Ainda em vida, foi considerado patrimônio do município de Barcarena, o que o torna uma grande influência para a comunidade musical paraense, na região amazônica, no Brasil e no mundo.


Em 2008, Mestre Vieira recebeu a Ordem do Mérito Cultural pelas mãos do presidente Lula e do ministro da Cultura Juca Ferreira. Vítima de um câncer, morreu aos 83 anos em Barcarena, mas deixou registrado na memória musical do Estado suas composições como o disco “Lambadas das Quebradas”, de 1978. O disco foi o primeiro a apresentar temas instrumentais para guitarra que valorizavam os ritmos da Amazônia e do Caribe.

Guitarrada


A Guitarrada é um gênero musical instrumental brasileiro surgido no estado do Pará oriundo da fusão do choro com o carimbó, merengue, cúmbia, mambo, bolero, jovem guarda, brega, entre outros. Neste estilo, a guitarra elétrica é predominantemente solista. Também é chamado de lambada instrumental.


Em 2010, com o propósito de homenagear e resguardar o valor histórico da guitarrada, o deputado Bordalo protocolou um projeto de lei para que o gênero fosse reconhecido como Patrimônio Cultural do nosso Estado. O projeto foi aprovado e se tornou a Lei nº 7.499/2011.


Por Ascom Bordalo

36 visualizações0 comentário