• Jornal Barcarena

Navio que naufragou em Barcarena deve ser retirado em janeiro


Foto: reprodução

Cinco anos depois, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), autorizou na quinta-feira, 10, a retirada da estrutura do navio que afundou no porto de Vila do Conde, em Barcarena.



A empresa contratada pela Companhia Docas do Pará, Superpesa Transportes Especiais e Intermodais será a responsável pelo trabalho que deve durar cerca de cinco meses.



O serviço deve começar ainda em janeiro. “A retirada desse navio já deveria ter sido feita desde 2018, mas agora vamos olhar pra frente e trabalhar na solução, porque além de atrapalhar o fluxo do porto, representa um risco ambiental eminente", explicou o Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Mauro O'de Almeida.



Durante uma manobra no porto de Vila do Conde, em 2015, o navio tombou e foi parar no fundo do rio, apenas 200 animais foram resgatados e o restante morreu afogado.


O Navio Libanês Haydar estava carregado com cinco mil cabeças de gado e 700 toneladas de óleo, com destino à Venezuela.



317 visualizações0 comentário