• Jornal Barcarena

Mestre Vieira é tema de mestrado na Universidade Federal do Pará


Foto: Saulo Caraveo

No dia 2 de fevereiro de 2018 a velha e boa guitarra se calou. Nesta terça-feira, dia 29 de outubro de 2019, Joaquim de Lima Vieira, o Mestre Vieira, completaria 85 anos. Mesmo com sua partida, seu legado e sua história continuam a ecoar em Barcarena, sua terra natal, pelo estado do Pará, pelo Brasil e quem sabe pelo mundo. Tanto é que o músico Saulo Christ Caraveo, de Belém, resolveu dissertar sobre o mestre, em seu trabalho de mestrado.


Graduado em Música pela Universidade do Estado do Pará – UEPA, Saulo tem 43 anos e mora em Belém. Para finalizar seu mestrado pela Universidade Federal do Pará – UFPA, decidiu tratar como tema o Mestre Vieira. O músico explica do que se tratou a pesquisa sobre Vieira. “Minha dissertação de mestrado – ‘A nascente de um rio e outros: a guitarrada de Mestre Vieira’ - trata do gênero musical Guitarrada a partir da obra do mestre. Foi a primeira pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará sobre o assunto. Pela relevância do tema e por mérito acadêmico fui premiado com a mudança automática ao nível de doutoramento. Iniciei a pesquisa em agosto de 2017 e a dissertação foi defendida em fevereiro de 2019 e já está disponível no repositório e na biblioteca do PPGARTES da UFPA”, disse.


Foto: Saulo Caraveo

Com tanto tema para tratar em sua dissertação, Saulo explica que falar sobre o mestre Vieira, tem relação com seu amor pela música. “O interesse pelo tema se dá pelo fato de eu ser guitarrista. Sou graduado em guitarra Fusion pelo Instituto de Guitarra e Tecnologia (IG&T) de São Paulo desde 2004 e perceber o caráter híbrido do gênero musical Guitarrada, no que se refere aos contextos culturais e musicais, me instigou a aprofundar as análises da pesquisa. Isto me estimulou a compor considerando as misturas de gêneros musicais como o carimbó, a guitarrada, o rock e fusion desde 2001, quando ingressei no IG&T”, disse.


O processo de escrita da dissertação contou com vários momentos, desde os mais emocionantes, que foi o contato com Vieira, seus filhos e amigos. “Tive que viver de perto, numa espécie de viagem no tempo a história toda que já havia sido relatada na literatura existente sobre a Guitarrada e entrevistar pessoas que pudessem corroborar esta história. Tive a felicidade de entrevistar Mestre Vieira e seu filho Waldecir, em 26 de agosto de 2017, em Barcarena. A convite de Waldecir, participei da festa do aniversário de 83 anos do mestre. Posteriormente entrevistei Dejacir Magno, em 30 de maio de 2018, também em Barcarena. Na ocasião, Vieira já havia falecido. Estive presente no sarau de homenagem póstuma ao aniversário do mestre no ano de 2018”, disse.


um recorte do trabalho de Saulo

O músico disse sentir-se honrado em homenagear Vieira com seu trabalho, e já deixa confirmada sua participação na homenagem deste ano ao Rei da Guitarrada. “Estarei presente na festa neste ano de 2019. É uma grande honra para mim participar e fico feliz por termos Mestre Vieira como um grande representante da guitarra aqui no Pará. Além da homenagem, minha dissertação objetivou ressaltar a trajetória de Mestre Vieira, sua obra e sua representatividade diante da cultura musical local. Claro que por se tratar de uma pesquisa acadêmica, para a ciência precisamos ser cuidadosos, então busquei fundamentar cada ponto de minha pesquisa. O incrível percurso musical, suas dificuldades e inteligência para transpô-las, a percepção do mundo moderno a sua volta e sua perspicácia para compor música me fazem crer que Joaquim de Lima Vieira, além de ser o criador do gênero musical Guitarrada é um dos grandes guitarristas da história da guitarra no mundo, mas por muitas vezes negligenciado pela historiografia dominante no Brasil”, disse.


Para Wilson Vieira, filho do mestre, saber da notícia de um estudo sobre o pai, é motivo de muita satisfação e gratidão. "A gente se sente muito feliz, além da felicidade, muito honrado em saber que a história e o legado do Mestre Vieira ainda é muito forte. E a gente vê muitos novos e as pessoas mais velhas ainda dando valor no legado que o mestre deixou. Então eu como filho, a gente só agradece primeiramente a Deus e ao nosso pai, pela luta e pela história que ele fez e por esse legado lindo que ele deixou", disse.


No trabalho de mestrado, fotos, recortes de jornais, músicas compostas pelo mestre e várias outras coisas que fazem memória ao Rei da Guitarrada. E como dito no início da matéria, o Brasil continua a saber quem foi Mestre Vieira, tanto que Saulo leva o legado do guitarrista com sua dissertação. “Consegui ótimos resultados com a dissertação de mestrado, apresentei inúmeros trabalhos em eventos científicos nacionais e internacionais levando o nome de Mestre Vieira e sua Guitarrada. De norte a sul, como diz o título de uma de suas obras, o ‘guitarreiro do mundo’ está mais vivo do que nunca. Salve Mestre Vieira”, ressaltou Saulo.

61 visualizações