• Jornal Barcarena

Há um ano Barcarena perdia Antônio Carlos Vilaça


Barcarena, domingo, 08 de setembro de 2019. A cidade acordou com o que até então parecia ser mentira, uma brincadeira de internet. Ninguém sabia ao certo o que estava acontecendo. Era 7h de um domingo costumeiramente agitado no município.



Os grupos de Whatsapp se questionavam, as pessoas no Facebook queriam uma posição. Vilaça havia falecido aos 65 anos. O Jornal Barcarena confirmou em primeira mão a notícia que chocou a cidade do abacaxi.



Horas depois a prefeitura de Barcarena confirmou o ocorrido. O prefeito de Barcarena não havia suportado um ataque cardíaco em seu sítio e morrera. Um silêncio inexplicável tomou Barcarena.



Na quinta-feira, 05, Vilaça ainda havia acompanhado o desfile escolar em frente à prefeitura. Teria passado mal e se retirado. Estava se recuperando de uma cirurgia, e por mais que os médicos pedissem repouso, Vilaça era visto em obras em andamento e inaugurando outras.



Pela tarde da trágica notícia, um cortejo saiu da casa de Vilaça, até o Ginásio Municipal, para o velório. A população compareceu, bem como autoridades, como o governador Helder Barbalho.



Na segunda-feira, 09, uma missa e um culto fizeram preces pelo prefeito, na parte da manhã, no Ginásio.



Pela tarde, um cortejo saiu pelas ruas da cidade, com o caixão de Vilaça em carro de bombeiros, que com sua sirene, anunciava a passagem fúnebre. Carros, motos, de bicicleta, andando, correndo, da porta de casa, as pessoas demonstraram respeito e gratidão.



Passando por várias ruas da sede, seguiu para a Vila dos Cabanos, onde Vilaça construiu seu império. Retornou para Barcarena, onde foi sepultado no cemitério da rodovia da integração.



Uma multidão tentava entrar para acompanhar os últimos momentos, era tanta gente, que uns até subiram no muro pra poder enxergar.


Nascido a 14 de julho de 1954, em Conselheiro Pena, Minas Gerais, Vilaça veio a Barcarena em busca de trabalho. Como sempre afirmava, começou sua carreira empresarial com carros e ônibus que tinham até mato dentro. Conseguiu se estabilizar e montou na Vila dos Cabanos a empresa Rodovilaça.

Vilaça se candidatou a primeira vez ao cargo de prefeito de Barcarena na campanha de 2008, mas João Carlos Dos Santos Dias saiu vencedor. Em 2012 tentou novamente e foi eleito. Em 2016 veio de novo para prefeito e se reelegeu.

Ficou marcado como um dos melhores prefeitos de Barcarena, onde construiu UBS em vários bairros da cidade. Construiu escolas, creches, fez a nova escola Maria Cecília, construiu praças, colocou iluminação pública nas ruas da cidade, asfaltou muitas vias do município e transformou o Festival do Abacaxi num dos maiores festivais do estado.


Vilaça se preparava para construir a nova orla de Barcarena, o Ginásio da Vila dos Cabanos e a ajudar na construção do Santuário Paroquial a Nossa Senhora de Nazaré, a nova igreja Matriz da cidade que foi demolida.


O carisma de Vilaça também foi algo marcante para a população. Seja nos desfiles escolares, carnavais e no Festival do Abacaxi, o prefeito sempre era visto pulando no meio da população. No carnaval de 2019, o Jornal Barcarena entrevistou Vilaça questionando a presença constante dele do lado do público.



"Quando a gente vai pra rua pedir voto para ser eleito, a gente está disposto a trabalhar pro povo. Mas pra trabalhar pro povo tem que estar junto do povo. E isso aqui é povo e eu sou o povo. Eu sou privilegiado de estar no meio das pessoas dançando e brincando. Eu estou feliz e é disso que eu gosto. É esse o prefeito que vocês tem", disse o prefeito à reportagem sobre o carnaval.

Com a morte do prefeito, segundo a norma constitucional e a lei orgânica do município de Barcarena, o vice prefeito Paulo Alcântara, assumiu o cargo de prefeito da cidade e entrega o mandato de Vilaça em 31 de dezembro de 2019.



227 visualizações