• Jornal Barcarena

Comunidades de Barcarena recebem doação de máscaras faciais para proteção à Covid-19


Desde a última segunda-feira (24), começaram a ser entregues 100.000 máscaras faciais não médicas para apoiar a proteção de comunidades do município de Barcarena contra o coronavírus. Essas máscaras foram produzidas por costureiras que receberam treinamento técnico, dentro da iniciativa realizada pelo Travessia.


O projeto conta ainda com apoio do programa Todos pelo Trabalho, Alunorte, Albrase da Iniciativa Barcarena Sustentável (IBS), além do suporte financeiro do Fundo de Sustentabilidade Hydro (FSH) e PPA Solidariedade (formado por USAID, NPI Expand, Plataforma Parceiros pela Amazônia - PPA e SITAWI Finanças do Bem).



Além da prevenção à Covid-19, está sendo estimulada a geração de renda às costureiras com suas atividades prejudicadas pela pandemia e o desenvolvimento da economia local.

Até junho deste ano, a produção de máscaras para doação chegará a 150 mil unidades. Todo o material utilizado na confecção das unidades, como tecidos, aviamentos e embalagens, estão sendo disponibilizados pela iniciativa.


Higienizadas e embaladas, as máscaras serão doadas a entidades locais, sem fins lucrativos, que se inscreveram na plataforma da IBS para contribuir com a entrega à população. A iniciativa também tem apoio da Prefeitura e obedece a um Plano baseado em critérios técnicos de incidência da doença no município, bem como dados relativos à vulnerabilidade social ao contágio (faixa etária, adensamento habitacional e outros).



Além das organizações da sociedade civil, as unidades do CRAS - Centro de Referência de Assistência Social – apoiarão a distribuição nas localidades não abrangidas pelas entidades cadastradas.


“O Fundo de Sustentabilidade Hydro se uniu a parceiros locais e internacionais em busca de soluções efetivas para as necessidades do município na pandemia da Covid-19. Uma das frentes de atuação é a promoção de soluções que levem à melhoria do bem-estar das comunidades, na expectativa de atender as necessidades locais, a partir do diálogo sobre as prioridades", afirma Eduardo Figueiredo, diretor executivo do FSH. A consultoria Synergia Socioambiental é responsável pela implementação dessa frente do projeto.


"Somos um parceiro comprometido com os territórios e, por meio do Travessia Barcarena, buscamos contribuir com o protagonismo das mulheres e a geração de renda às famílias, nesse momento desafiador a todos”, conclui.


A secretária municipal de Saúde de Barcarena, Eugência Teles, destacou a parceria com a empresa para prevenção da covid-19. “A Prefeitura de Barcarena agradece o trabalho conjunto com a empresa Hydro, através do grupo Synergia, que tem a preocupação de estar doando, hoje, um meio de proteção individual de grande importância que são as máscaras. Que trazem proteção individual e, consequentemente, coletiva, pois ajuda a reduzir a taxa de transmissão do coronavírus no nosso município, demonstrando a parceria da empresa Hydro com o controle dessa doença em Barcarena”, disse.


Formação técnica - Durante o projeto, cerca de 90 costureiras estão recebendo orientação técnica em corte e costura, sobre as especificações e exigências para produção das máscaras não médicas, incluindo orientações com profissionais de saúde o enfrentamento da Covid-19.


A formação também envolve as áreas de empreendedorismo, negócios e uso de ferramentas digitais visando melhoria da produção local e ampliação do mercado de atuação, gerando o desenvolvimento contínuo de novos produtos e sustentabilidade dos negócios da região pós pandemia.


As costureiras foram mobilizadas por três associações comunitárias locais, parceiras do projeto: Centro Comunitário de Vila Nova, Associação de Moradores Renascer em Cristo e Associação Comunitária Luz Divina.


Angela Araújo, moradora de Vila Nova, mantém tradição familiar no trabalho em costura e vê na iniciativa a oportunidade de conquistar sua autonomia financeira. “Vi minha mãe sustentar a família com a costura e minha pretensão é me profissionalizar e ganhar o meu sustento. Quando entendi que a costura me possibilita trabalhar e cuidar do meu filho, ganhou força”, reforça Angela, que participou dos primeiros módulos de treinamento do projeto.


Por assessoria

54 visualizações0 comentário