• Jornal Barcarena

Assassinato de jovem em Abaetetuba e a importância de denunciar a violência contra a mulher


Uma mulher, identificada como Andressa Vilhena, de 22 anos foi assassinada a tiros na manhã desta quinta-feira (16) em Abaetetuba. A Polícia Civil no município está nas ruas para levantar mais informações sobre o crime.



As informações iniciais são de que ela foi vítima de feminicídio, o ex-companheiro seria o principal suspeito. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a jovem caminhando na rua quando é surpreendida por dois homens. Um deles faz os disparos contra ela.


A jovem chegou a ser levada em estado grave para a UPA de Abaetetuba, onde recebeu atendimento médico, mas não resistiu aos ferimentos e morreu às 9h19. Na unidade de saúde foram verificadas duas perfurações no corpo de Andressa, sendo uma no abdômen e outra na cabeça. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).



Em Barcarena, oito farmácias do município aderiram a Campanha Sinal Vermelho que facilita e promove a denúncia silenciosa contra a violência doméstica. A campanha vai atender a vítima assim que ela conseguir se deslocar até uma farmácia ou drogaria previamente cadastrada à campanha. A vítima vai sinalizar ao atendente, através do ‘X’ na palma da mão e o profissional treinado acionará a polícia, de acordo com o protocolo preestabelecido.


Foto: Ascom PMB

Em visita aos estabelecimentos a Rede de Proteção à Mulher de Barcarena, representada pela Coordenadora de Políticas para as Mulheres e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), efetivou o cadastro das farmácias Big Farma, New Farma, Super Farma, Micro Farma, Farmácia N.S. do Perpétuo Socorro, Farmácia Mariana e Extrafarma.


O roteiro de visitas não está finalizado. “Nosso objetivo é convidar todas as redes de Farmácia do município”, explica Maria de Jesus Farah, Presidente do CMDM.


Foto: Ascom PMB

Com a adesão voluntária de responsabilidade social, as farmácias se comprometem a promover treinamento dos colabores, através de acesso à cartilha e ao tutorial disponibilizados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Associação Médica Brasileira (AMB). A capacitação os habilita para acolher, com sigilo e discrição, a vítima que sinalizar socorro, através do sinal vermelho.


A Coordenadora Municipal de Políticas para as Mulheres de Barcarena esclarece que apesar do novo método de denúncia, os canais 180 e 190 permanecem disponíveis para toda população, ou seja, “qualquer cidadão pode colaborar com a vítima”, afirma Tânia Oliveira. Após o atendimento, a vítima ingressará no sistema da Justiça e contará com o apoio da rede de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica.


REDE DE PROTEÇÃO - No município, uma ampla Rede de Proteção à Mulher Vítima de Violência integra órgãos do judiciário, executivo e não governamentais. Entre eles, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), uma unidade policial com foco no acolhimento, localizada na Cronje da Silveira, entre 7 de setembro e Frederico Vasconcelos, em Barcarena-sede, e a Polícia Militar.


Com informações do G1 PA e da Ascom PMB

4,143 visualizações