• Jornal Barcarena

29 de outubro é oficialmente declarado Dia Municipal da Guitarrada em homenagem a Vieira


Foi publicado o decreto municipal pelo prefeito de Barcarena, Paulo Alcântara, que declara o dia 29 de outubro como Dia Municipal da Guitarrada. A data faz memória ao dia de nascimento de Joaquim de Lima Vieira, o Mestre Vieira, Rei da Guitarrada. O decreto foi assinado no dia 25 de outubro.

O requerimento foi feito pelo fã clube do músico em Barcarena, representado pela Professora Betinha. Eles reivindicaram junto a Câmara Municipal, que a data 29 de outubro fosse instituída o Dia Municipal da Guitarrada, ritmo já decretado Patrimônio Cultural e Artístico de Natureza Imaterial do Estado do Pará (Lei de n° 7.499, de 10 de março de 2011). O requerimento foi feito pelo vereador Laurival Filho.



A vida do Mestre

Mestre Vieira, que já era considerado pelo povo barcarenense um patrimônio cultural da cidade, lançou em vida treze discos em formato LP e cinco em formato CD, considerando o CD que ele produziu Os Dinâmicos e Mestre Vieira, de 2015, e no qual também gravou. O segundo LP Lambada das Quebradas Vol. 2, um dos maiores sucessos de venda, nos anos 1980, principalmente no Nordeste, teve relançamento na Inglaterra, com uma capa bem diferente da original, que mostra os músicos em cima de um barco no rio que passa em frente à Barcarena.

Mestre Vieira é autor, ainda, de músicas feitas entre os dois álbuns dos Mestres da Guitarrada e o compacto duplo da cantora Mirian Cunha, que ele produziu e lançou como Rainha da Lambada nos anos 1980. Informações mais precisas sobre a vida e obra do músico estão sendo levantadas pelo projeto “Inventário Mestre Vieira”, coordenado pela jornalista e produtora cultural Luciana Medeiros, responsável também pela produção do DVD 50 Anos da Guitarrada e da série de animação “Os Dinâmicos”.

O projeto “Inventário Mestre Vieira” foi selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2017/2018 visa a produção de um Songbook com 30 músicas do artista e a renovação de seu site, que entre outras coisas, terá vídeos, textos e fotografias inéditas produzidas nos últimos 10 anos de carreira do artista. O lançamento está previsto para abril de 2020.

Joaquim de Lima Vieira, que ficou conhecido como Mestre Vieira, o criador da guitarrada, nasceu em 1934, em Barcarena-PA, cidade onde ele se criou e viveu até sua morte, em 02 de fevereiro de 2018.  Ícone da cultura paraense, o músico autodidata, foi considerado um exímio guitarrista brasileiro. Ganhou de presente sua primeira guitarra desmontada e mesmo assim a colocou para solar, usando cordas de violão e um amplificador caseiro criado por ele mesmo.

Descoberto por um produtor musical representante da antiga gravadora Continental, lançou o primeiro LP em 1978, o clássico Lambada das Quebradas Vol. 1, e não parou mais de produzir. Nos anos 1990, período em que a Lambada ganhou outros rumos com o Grupo Kaoma e Beto Barbosa, Mestre Vieira ficou esquecido pela mídia, mesmo sendo o percussor de tudo isso, injustiça que tem uma reviravolta que começa no início dos anos 2000.

Naquele ano, Mestre Vieira inspira o surgimento dos Mestres da Guitarrada, ao lado de Aldo Sena e Mestre Curica. O grupo, produzido por Pio Lobato, guitarrista responsável pela “redescoberta” de Mestre Viera, foi abraçado pela Funtelpa, se tornando o projeto que recolocou a Guitarrada no circuito musical Nacional, além de ter provocado o novo boom da música paraense que, a partir daí, retoma sua visibilidade no cenário musical do país, com artistas como Gaby Amarantos, Lia Sophia, Gang do Eletro, Felipe e Manoel Cordeiro.

Depois disso, o músico volta à carreira solo e grava o CD “Guitarrada Magnética” (2009), o primeiro DVD, em 2012, e lança, em 2015, o último CD, “Guitarreiro do Mundo”, lançado com shows em Belém, Rio de Janeiro e Brasília.

Em 2016, antes da descoberta da doença, um câncer de próstata, ele gravou o curta metragem “Passe de Mestre”, para o projeto Sonora Pará, da TV Cultura do Pará, com direção de Luciana Medeiros. Em tratamento, ele ainda voltou a tocar no ano seguinte, em 2017, fazendo shows em Niterói e Rio de Janeiro, onde também gravou um clipe de sua música “Lambada Portuguesa”, com o grupo Noites do Norte.

Em Barcarena, fez shows no Festival do Abacaxi, e em Belém, e no Teatro do Sesi, onde foi apresentado o show “Acordes do Círio”, ao lado de Sebastião Tapajós, Mestre Solano e Mestre Laurentino. A última apresentação em público foi no seu aniversário de 83 anos. Já em dezembro, após uma recaída da doença, o músico passou por internações, sendo a última, no final de janeiro de 2018, vindo a falecer no dia 02 de fevereiro de 2018. Ficou a saudade e seu legado musical, que não o deixarão cair no esquecimento.

Com informações da produção do Mestre Vieira

53 visualizações